Como fazer uma Análise da Concorrência?

“O Empreendedor do mercado imobiliário não deve olhar a grama do vizinho”.

Se assustou com a frase? Calma que vamos explicar.

Quando nos referimos a isso não significa que desmerecemos o impacto da oferta na definição do potencial de mercado para um produto imobiliário.

A ressalva ocorre, pois, o que geralmente se vê é uma boa parte dos empreendedores decidindo considerar que o que está sendo ofertado deve ser o único termômetro na hora de tomar a decisão de investir no desenvolvimento de um empreendimento.

Por consequência, é feito mais do mesmo sem olhar para as reais necessidades da demanda, como por exemplo: Ela deseja comprar? O produto está alinhado com os desejos da demanda? A compra ocorrerá em até quanto tempo?

Até esse momento já é possível perceber a necessidade da mudança de óptica. Correto?

Talvez o grande desafio esteja em como fazer uma análise da concorrência realmente assertiva e de uma maneira prática.

Por isso, a seguir, apresentamos 3 dicas que podem ser utilizadas sem contraindicação e independentemente da tipologia analisada:

1. Faça o levantamento dos três tipos de oferta

A oferta dento do mercado imobiliário pode estar nas mãos de terceiros caracterizando o que conceituamos de oferta pulverizada. Neste caso, não há necessariamente um padrão de preço ou tipologia e não é usualmente considerada como referência para estruturação de novos produtos. Já o que consideramos como oferta de lançamento se caracteriza como os empreendimentos lançados recentemente no mercado e ainda possuem estoques – e nesta categoria os players do mercado geralmente se baseiam, muitas vezes fortalecendo o efeito manada e injetando no mercado produtos mais do mesmo. O último tipo de oferta, que não é menos importante, mas muitas vezes é desconsiderado nas análises principalmente pela dificuldade de obtenção, é a oferta futura representada pelos processos de aprovação que estão tramitando na prefeitura.

2. Identifique a tríade predominante para a configuração de um produto

Basicamente o que conceituamos de tríade da oferta é traduzido pela interação entre preço, metragem e atributos. Qual o valor do m² na minha área de influência? Qual a metragem mais recorrente nos empreendimentos dos meus concorrentes? Quais atributos estão sendo comercializados com mais frequência? Ao responder a essas perguntas você encontrará um padrão de mercado e pode traçar uma rota para fugir dele e implantar projetos únicos.

3. Entenda o que realmente a sua demanda quer

As duas primeiras dicas ajudam a desenhar um produto com diferencial de mercado, considerando os gaps gerados pela tríade da oferta. No entanto, não adianta ter o melhor produto por essa ótica se ele não atender aos anseios da demanda, ficando estocado.

A análise da concorrência, para ser efetiva, não precisa ser complicada. Basta seguir dicas simples que ajude o empreendedor a vencer a tentação de se render aos encantos e facilidade do efeito manada.

Então, se você quer realmente se destacar no mercado imobiliário, primeiro terá que entender para empreender, pois só assim será possível lançar um produto mais alinhado com o mercado (pela ótica de preço, metragem e atributos), ratificando a certeza de bons negócios!

Quer deixar sua opinião ou contribuição sobre o assunto nos comentários? Será uma satisfação para nós.

Estaremos atentos.

Nos vemos em breve.

×